O primeiro pensamento: precisamos mesmo daquele carro novo? Além de dirigir, fabricar um veículo também libera milhares de quilos de CO2 na atmosfera.

Nem gasolina, nem diesel, nem híbridos, nem elétricos: se queremos que a temperatura média do planeta não ultrapasse os 2ºC, precisamos de menos carros nas nossas estradas . Mas no Brasil há cada vez mais: e o tráfego rodoviário é responsável por um em cada quatro quilos de CO2 (entre outros poluentes) que libertamos na atmosfera. A emergência climática exige uma solução: melhor andar e pedalar, ou pegar o transporte público.

Se precisar mesmo de um carro, alugue antes de comprar: você fará um favor ao planeta e também ao seu bolso.

Portanto, antes de se juntar ao problema, é preciso refletir. A primeira coisa é pensar se realmente precisamos de um carro ou podemos alugá-lo, porque muitas vezes o compramos por inércia ou apenas por precaução.

Como regra geral: se fazemos menos de 10.000 quilômetros por ano e não necessariamente precisamos levar o carro todos os dias para ir ao trabalho ou similar, o normal é que não faz sentido comprar um carro: nem para o planeta nem para o nosso bolso. De fato, a maioria dos veículos que compramos “por precaução”, para uso ocasional, são fáceis de substituir alugando um carro ou terceirizando sua frota por tempo determinado.

Alugar tira carros das estradas

Embora quem terceiriça sua frota ou aluga carro ainda seja minoria, e a frota de veículos alugados mal constitua 5% do total,  a tendência não para. Boas notícias para o planeta.

Por outro lado, ter um carro nos condiciona. A decisão de comprar um veículo afeta toda a nossa mobilidade: vamos usá-lo mais, mesmo quando não for essencial; vamos liberar mais CO2 e outros poluentes na atmosfera. Além disso, sem carro próprio percorremos metade dos quilómetros, segundo estudos. O motivo: fazemos um uso mais racional, pensamos duas vezes antes de andar de carro; porque podemos caminhar, andar de bicicleta ou usar o transporte coletivo.

Compro ou alugo um carro quando preciso: o que deixa menos pegada de carbono?

Compro ou alugo um carro quando preciso: o que deixa menos pegada de carbono?

Fabricar carros tem uma pegada de carbono pesada

Mesmo antes de começarmos a dirigir um carro novo, já teremos gerado uma pegada climática. A causa? minerais e metais devem ser extraídos do solo para sua fabricação . Então você tem que transformá-los em partes do carrro. E fabricar o resto dos componentes, como os pneus , o painel de plástico e a pintura para o acabamento, só para citar alguns. Tudo isso também implica mover os componentes pelo mundo.

E, uma vez que o veículo é construído, ele deve ser transportado de volta ao ponto de venda. Após analisar o ciclo de vida de todos os componentes, Berners-Lee estima que a pegada climática de um carro novo seja de cerca de 1000 quilos de CO2 equivalente por cada 10.000 reais que pagamos pelo veículo. Assim, quanto mais caro o carro, mais pegada de carbono ele deixa.

Não custa mais

ALugando um carro ou terceirizando nossa frota, não apenas emitimos menos CO2, como também economizamos dinheiro. Gastamos entre 1500 e 2000 reais por mês com carro próprio , incluindo taxas, seguro, impostos, gasolina e outras despesas, fora a perda de valor do veículo à medida que envelhece.


Mundial aluguel de carros em Natal

A Mundial locadora de carros em Natal surge com a proposta de oferecer ao mercado os benefícios do sistema de terceirização de Frota de Veículos en todo o Rio Grande do Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *